segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Selo Brasileiro

Já ouviram falar do Selo Brasileiro? Não?

Pois bem, hoje este é o tema. Como o próprio blog deles diz, "Selo Brasileiro é um projeto criado por um grupo de autores nacionais para divulgar literatura e cultura no país. A nossa ideia é viajar pelo Brasil incentivando a leitura e fazendo contato com os nossos leitores para que criemos uma relação de intimidade por quem é apaixonado por um bom livro".

Conheci o blog do grupo já tem uns 5 ou 6 meses através do blog do Fábio Guolo (http://www.dracosaga.com/), escritor do livro Draco Saga: O Despertar (Draco Saga: O Despertar no Skoob) e de A Baronesa (A Baronesa no Skoob).

Photobucket
Este é o selinho deles


O Selo Brasileiro funciona como uma liga de autores brasileiros independentes e novos que incentivam a leitura da produção nacional de livros. O blog lista vários autores coligados, publica entrevistas e resenhas dos livros deles, sorteios oficiais e até informa concursos culturais literários pelo Brasil. O projeto também é itinerante, pois percorre o Brasil com os autores independentes em eventos de livrarias de todo o país.

O trabalho deles é muito importante, pois nos mostra que os autores nacionais se preocupam em incentivar a leitura no país e também emerge o autor independente brasileiro como um forte competidor no mercado literário que atualmente é dominado pelas editoras que algumas vezes preferem editar best sellers do que investir em novos autores da literatura nacional (mas sem fazer generalizações, pois sempre existem as editoras que são exceção como por exemplo a Novo Século que tem um projeto para novos autores da literatura nacional http://www.novostalentosdaliteratura.com.br/).

Então, quer conhecer melhor o Selo Brasileiro ou se juntar aos autores independentes que trabalham pela nova literatura brasileira? Acesse: http://www.selobrasileiro.blogspot.com/.

Sobre o meu livro, com a ideia do meu amigo Thiago Guimarães e escritor do livro O Cajado do Dragão (O Cajado do Dragão no Skoob) eu fiz um site para o livro La Viratta!!! O site ainda não tem domínio próprio, mas futuramente vai ter. Para quem quiser saber um pouco mais sobre o livro e os personagens, o endereço provisório é http://www.wix.com/laviratta/laviratta. Dê uma visita e me diga o que achou, ok?

Abraços!

Pri

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Livro impresso e leis

Olá pessoal!!

Meu livro pode ser considerado oficialmente registrado! Estou muito feliz e fiz uma cópia impressa para fazer a segunda revisão. É IMPRESSIONANTE como é diferente ler o livro no computador e o livro físico. Ao ler o livro físico, encontrei alguns erros que no computador eu não tinha encontrado. Depois vou pedir obrigar amigos para lerem. Portanto, aqueles que se esconderem primeiro estarão a salvo kkkkkk O fato é que quando outra pessoa faz uma leitura ela enxerga os erros que o autor não conseguiu ver e é uma fase muito importante da produção de um livro.

E por falar de livro impresso... Sabia que existe uma lei do livro? Não é beeeem uma lei do livro propriamente dita, mas sim uma lei firmando políticas nacionais do livro. A lei é curtinha, possui apenas 19 artigos e pode ser encontrada no seguinte link: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.753.htm

Encontrei a lei quando estava conversando com uma amiga sobre importação de livros e descobri que "é permitida a entrada no País de livros em língua estrangeira ou portuguesa, imunes de impostos nos termos do art. 150, inciso VI, alínea d, da Constituição, e, nos termos do regulamento, de tarifas alfandegárias prévias, sem prejuízo dos controles aduaneiros e de suas taxas" (Artigo 4º da lei). Eu não sabia disso e fui pesquisar mais sobre.

A lei foi publicada em 30 de outubro de 2003. É interessante, pois encontrei mais coisas que eu não sabia. O governo tem o dever de criar linhas de crédito específicas para editoras, sabiam? Pois bem, depois vou pesquisar mais aprofundadamente para saber se existem estas linhas de crédito ou não, provavelmente a CAIXA ou o Banco do Brasil devem ter algo neste sentido.

O conceito de livro na lei é: "Considera-se livro, para efeitos desta Lei, a publicação de textos escritos em fichas ou folhas, não periódica, grampeada, colada ou costurada, em volume cartonado, encadernado ou em brochura, em capas avulsas, em qualquer formato e acabamento". Para a lei, o livro é o meio principal e insubstituível da difusão da cultura e transmissão do conhecimento.

São equiparados a livros materiais avulsos relacionados com o livro impressos em papel ou material similar, roteiros de leitura para controle e estudo de literatura ou obras didáticas, fascículos de qualquer natureza que representem parte de livro, álbuns para colorir, pintar, recortar ou armar, atlas geográficos, históricos, anatômicos, MAPAS (eu não fazia a MENOR ideia disso!!) e cartogramas, textos derivados de livro ou originais produzidos por editores mediante contrato (filmes do livro?), livros em meio digital, magnético e ótico para uso exclusivo de pessoas com deficiência visual e livros impressos no sistema Braille.

A lei também institui o ISBN, que é chamado pela lei como Número Internacional Padronizado, sendo obrigatório juntamente com a ficha de catalogação para publicação. O ISBN é um sistema de identificação do livro através de um número de acordo com o título, autor, país, editora, etc. Depois falarei sobre o ISBN, pois também passarei por isso. Ele deverá constar da quarta capa do livro.

Segundo as políticas previstas na norma, o Estado deve fomentar e apoiar a produção, edição, difusão, distribuição e comercialização do livro, estimular a produção intelectual dos escritores e autores brasileiros de obras científicas e culturais, promover e incentivar o hábito da leitura e assegurar a leitura aos deficientes visuais.

Outra coisa que eu não sabia era que os contratos de cessão de direitos autorais entre autores e editores de livros a serem publicados deverão ser registrados na Fundação da Biblioteca Nacional, no Escritório de Direitos Autorais (falamos deles no post anterior). E, por fim, o que eu achei a curiosidade mais curiosa de todas: o governo deve introduzir nas escolas a "Hora da Leitura Diária". Eu me lembro que na escola, da primeira à quarta série, a professora falava para lermos revistinhas quando terminávamos o trabalho em sala. Eu achava que na realidade era um artifício para não gerar conversa e confusão. Considerando que a lei é de 2003, não existia na época em que eu estava na escola, mas este fato pode ter sido um começo para tudo. Quem sabe?

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Biblioteca Nacional - Registro de Obra

Ahoy ppl!!

Finalmente terminei a primeira revisão do livro. Não foi fácil. Tive que adaptar algumas coisas, modificar outras, inserir ganchos e finalizar melhor algumas cenas. Aquela sensação de que "falta alguma coisa" ficou, mas isso sempre fica né?? :p

Então, fiz uma revisão bem caprichada e como minha colega autora do livro Águas e da Série Destino, Paulinha (http://blog-da-paulinharj.blogspot.com/), me indicou, o primeiro passo para a publicação do livro é o registro na Biblioteca Nacional e, como eu disse, eu iria contar tudo sobre como isso funciona e cá estou, pronta e ansiosíssima para enviar o livro para a BN.

~ Site da Biblioteca Nacional: http://www.bn.br/portal/.

Na seção "Serviços a Profissionais" existe o acesso ao EDA, o Escritório de Direitos Autorais. O EDA fica no Rio de Janeiro.

~ Endereço: Rua da Imprensa, nº. 16 - 12º andar Castelo - Rio de Janeiro - RJ - 20030-120.

Na seção do EDA há todas as informações para o registro de obras intelectuais de diversos gêneros, como livros, monografias, personagens desenhados, músicas, campanhas publicitárias entre outros. O registro é essencial para assegurar os direitos autorais de criação da obra de acordo com a Lei de Direitos autorais da qual já falei neste post (clique aqui para ver um resuminho da lei). O registro assegura a anterioridade da obra, ou seja, presume-se que o criador da obra é aquele que a registrou primeiro.

Para efetuar o registro é necessário que o autor preencha um formulário próprio, pague a taxa via Guia de Recolhimento da União (GRU) e envie ou entregue presencialmente a obra em si, numerada e rubricada em todas as páginas. O autor pode dirigir-se ao EDA presencialmente ou a um dos seus postos itinerantes nos estados (clique aqui para ver a lista e os endereços de cada estado). Caso não haja um posto em sua cidade, há a possibilidade de envio via correio para a sede via SEDEX ou Carta Registrada.

O prazo atual para o processo é de 90 dias. Então, se tudo estiver certinho, em até 90 dias o livro estará devidamente registrado na biblioteca nacional! /o/ \o\ \o/ Lembrando que o ISBN não está incluso, deve ser registrado em outro site: http://www.isbn.bn.br/

Outras informações:
~ Atendimento ao público: Entrega de Requerimentos e informações na recepção: no endereço acima, de 2ª a 6ª feira, das 10 às 16h
~ Informações pelos telefones: (21) 2262-0017 e 2220-0039, de 2ª a 6ª feira, das 10 às 16h, Fax: (21) 2240-9179
~ Endereço eletrônico: eda@bn.br
~ Lista dos documentos necessários e taxas: http://www.bn.br/portal/arquivos/pdf/tabela.pdf
~ FAQ: http://www.bn.br/portal/index.jsp?nu_pagina=32
~ Normas completas (ótimo, tem TUDO sobre o processo de registro no EDA): http://www.bn.br/portal/arquivos/pdf/Formulario_Normas_EDA_Novo.pdf

Abraços!!!!