quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O Entardecer Vermelho

Olá pessoas!!

Primeiramente eu gostaria de agradecer a todos que estão participando da promoção 100 seguidores do blog, significa muito para mim. Convidem seus amigos para sortearmos o livro o mais rápido possível ok? =D

Quanto ao La Viratta, ainda estou na primeira revisão. Estou com algumas dificuldades pessoais, mas na vida até uva passa, então logo tudo vai passar suhahusahus *péssima!*

Hoje vou mostrar para vocês a entrevista que fiz com o Diogo Teixeira, um amigo meu escritor que publicou "O Entardecer Vermelho" pela editora Virtual Books, editora comentada no post anterior. Ele vai contar sobre o livro dele e sobre sua experiência na editora.

Photobucket

Nome: Diogo Teixeira
Quantas primaveras: 25


Formas de contato com o autor:

E-mail: diogolaw@gmail.com


~ Conte um pouco sobre você.

Sou advogado, bacharel de Direito pela Fundação Mineira de Educação e Cultura, pós-graduado em Direito Tributário pela Universidade Gama Filho.

Comento corridas em MG pelo Review de Corridas ( http://reviewcorridas.blogspot.com/ ) e continuo escrevendo livros de literatura e sobre Direito Tributário.

Atualmente estou me preparando para concursos públicos e começando a me preparar também para um mestrado em Direito.


~ O livro O Entardecer Vermelho é o seu primeiro livro?

Sim, é o primeiro livro e foi lançado em Março de 2011 com 50 tiragens pela Editora Virtual Books.


~ Conte um pouco sobre O Entardecer Vermelho.

Comecei a idealizar esta história ainda quando criança, e sempre procurei escrever algo sobre ela, mas, constantemente, sentia-me incapaz e oprimido por obras de grandes autores ao qual tenho muita estima, de tal forma que constantemente rasgava ou queimava todo aquilo que havia escrito. Em decorrência destas frustrações, enquanto cursava a faculdade de Direito, resolvi abandonar de vez a idéia de escrever, mas jamais abandonei a idéia de produzir em minha mente este universo que me é tão próprio.

O objetivo principal era de escrever uma trilogia que narrasse a história de um único Kraastiano, que balançaria todos os alicerces daqueles que o precederam, mudando substancialmente a sua realidade e de todos que viriam. Desta história eu jamais passei do segundo capítulo, muito embora tenha em minha mente toda a sua trajetória.

No mesmo tempo em que eu criava uma história principal, naturalmente surgiram outras histórias que se relacionavam e serviam de suporte à principal. A riqueza de detalhes era tanta que aos poucos elas tomaram vida, de tal sorte que alguns personagens passaram a possuir um enredo muito próprio. Foi então que eu apresentei algumas crônicas que eu escrevia a alguns amigos, sem nenhum legítimo interesse. De fato, fazia-o mais por diversão do que sob um ideal de um dia vir a publicá-los.

Ocorre que estas crônicas sempre foram muito bem elogiadas, e recebi incentivo de várias pessoas para que eu escrevesse mais, mas nenhuma delas conseguiu me comover a ponto de escrever de maneira séria e dedicada, imprimindo (ou ao menos buscando imprimir) o mesmo primor ao qual eu dedico à minha profissão. Mas, onde todos falharam, houve uma grande amiga que me inspirou a continuar a escrever.

O livro em si consiste em quatro crônicas cujo tema central cerca indiretamente um personagem que se chama Ayisht. Este personagem central não é o protagonista de qualquer destas crônicas, entretanto todos os fatos são desencadeados em função de sua misteriosa existência.

A primeira crônica revela o peso que um homem carrega por ter lançado ao mundo a Morte; A segunda crônica põe em dúvida a existência de um rei do passado; A terceira crônica exalta momentos que antecedem uma guerra; Por fim, a quarta crônica nos faz flutuar ante às dúvidas e medos de Verônica.


~ Como foi trabalhar no livro? De onde veio a inspiração?

Trabalhar com este livro foi muito gratificante. Sempre que eu iniciava uma crônica eu não fazia a menor idéia de como ela terminaria, por isso eu acabei sendo um autor e leitor. Eu vibrava com as vitórias dos personagens e ficava sentido com as dificuldades que eles atravessavam.

Acredito que, ao final, o livro teve mais influência em mim do que eu no livro. Foi como se eu descrevesse eventos que se apresentavam à minha frente, em tempo real!

Como eu estava ocupado com a advocacia e inúmeros estudos que minha profissão demanda, o único tempo livre que eu tinha para escrever era nos domingos a noite. Por isso demorei cerca de quatro meses para concluir o livro.

Mas o que mais me desgastou foi a revisão literária. A língua portuguesa é uma língua cheia de regras gramaticais e de concordância que se mostram inúteis e não funcionais, especialmente diante de uma aclamada reforma ortográfica que nas vias de fato não trouxe melhora alguma para a nossa realidade brasileira.

Por isso eu tive que contar com auxilio de outras pessoas que com muito carinho apontaram as falhas gramaticais e me auxiliaram a corrigi-las a tempo. A estas pessoas eu sou muito grato.


~ Conte sobre a luta para publicar um livro independente.

Quando o livro esteve pronto eu me deparei com uma realidade que me espancou e desmotivou a ponto de pensar em desistir da publicação. No Brasil nós temos editoras especializadas em publicações, mas seus valores são salgados para os iniciantes. Um livro publicado de forma independente sai mais caro ao leitor do que os livros publicados por grandes editoras, isso sem analisar a questão da divulgação.

Mas, de todos, surpreendentemente o que mais me desanimou foi a dificuldade de conseguir uma boa capa para o livro. Por sorte a Virtual Books me auxiliou neste ponto e uma bela capa foi produzida.


~ Como foi publicar o livro pela Virtual Books?

Eu sempre fui muito bem recebido pela Virtual Books. Tive uma certa insegurança inicial por ser algo da internet, mas analisei por mais de um mês o site da editora e vi que muitas pessoas publicavam por lá o seu livro. Meu primeiro contato foi através de um orçamento, ao qual fui prontamente atendido. A partir deste ponto o processo de publicação ocorreu de maneira exemplar.

Um dado interessante é que, depois de publicar o meu livro por esta editora, recebi dois e-mails de autores que pretendiam publicar também pela Virtual Books, mas que estavam com receio de ser um golpe como comumente vemos, tamanha a descrença de concretizar negócios pela internet.


~ Detalhe os prós e contras da editora Virtual Books.

No geral, o tratamento da editora com os autores foi algo que me impressionou. Cheguei até mesmo a ligar para a editora e sempre fui tratado com muita cordialidade. Acredito que este respeito foi fundamental na escolha da editora.

A única coisa que eu tenho a reclamar, e isso é por questão de facilidades, é que todos os depósitos são feitos através do Banco Bradesco, e eu não tenho conta neste banco.

Então tive que depositar as importâncias através da conta da minha irmã. O problema de não ter mais opções de depósito é que, para efetuar o depósito, eu teria que pagar taxas bancárias que acabariam encarecer ainda mais a produção do livro. E, de fato, este foi o fator que me desmotivou a requisitar novas remessas.


~ Palavras finais

Gostaria de agradecer a Pri pela oportunidade da entrevista e de ressaltar o quanto estou aguardando ansiosamente pelo meu exemplar do La Viratta.

Aos amigos e os leitores que adquiriram o “Entardecer Vermelho”, gostaria de agradecer por partilhar da alegria que foi publicar um livro. Sem este fundamental e essencial apoio eu jamais teria de fato publicado.

Por fim, urge ressaltar que já estou produzindo o segundo livro. Já tenho aproximadamente 100 páginas escritas e, pelo progresso, ano que vem pretendo publicá-lo. Mas, desta vez, procurarei uma editora de maior porte, já que a minha primeira publicação foi em caráter experimental.

Meus sinceros votos de Serenidade e Iluminação a todos!



YEEEEEEEY!!! Esse foi o Diogo gente! Diogo, obrigada pela entrevista!! Obrigada por me mostrar a editora, espero poder publicar o La Viratta o quanto antes! Saiba que seu exemplar já está reservado, hehehe!!! Confiram o livro do Diogo no Skoob, clicando aqui.

Convido a todos novamente para participarem da nossa promoção de 100 seguidores do blog! É o sorteio de um clássico da literatura, o livro "A Ilha do Tesouro". Mais informações: http://laviratta.blogspot.com/2011/11/promocao-100-seguidores.html

4 comentários:

  1. Fico honrado em te conceder esta entrevista! Mal posso esperar para ler o meu "La Viratta"!

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oiii
    nossa, adorei a entrevista... muito legal, adorei fazer parceria com vc!!!
    beijos
    http://dailyofbooks.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela entrevista, incrível!

    Um beijo,
    Luara - @luuara
    http://estantevertical.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Que bom que gostaram gente!!! Procurem ler o livro do Diogo :D

    Abraços!

    ResponderExcluir