quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Lei de Direitos Autorais

Ahoy!!!

Hoje eu estava sem inspiração para o post da semana, então resolvi fazer algo de útil para as pessoas. Este post vai ser chato e sem graça, sem imagens, mas terá um conteúdo importantíssimo para os autores: a Lei 9.610 de 1998, a lei de Direitos Autorais. Eu tive aula dessa lei na faculdade então sei mais ou menos o que eu estou falando kkkkkk Como o blog tem o intuito literário, vou falar apenas das partes atinentes aos direitos literários, pulando a parte que fala de rádios, músicas, novelas, filmes e etc. (sim, a lei é até interessante!! :p)

Bom, para começar a lei diz que regula os direitos autorais e aqueles que lhe são conexos, por exemplo a distribuição, reprodução e a sucessão destes direitos. Dependendo dos tratados internacionais que o Brasil for signatário, os autores estrangeiros terão também os mesmos direitos assegurados na lei, assim como os Portugueses sem necessitar de tratados internacionais, caso haja reciprocidade nas leis Portuguesas. Numa classificação jurídica, os direitos autorais são bens móveis.

A lei considera como:

A) Publicação - oferecimento de obra literária, artística ou científica ao conhecimento do público, com o consentimento do autor, ou de qualquer outro titular de direito de autor, por qualquer forma ou processo.

Ou seja, a publicação é o ato pelo qual o autor traz ao público a sua obra, com o seu consentimento.


B) Distribuição - a colocação à disposição do público do original ou cópia de obras literárias, artísticas ou científicas, interpretações ou execuções fixadas e fonogramas, mediante a venda, locação ou qualquer outra forma de transferência de propriedade ou posse.

Assim, a distribuição e a publicação geralmente ocorrem no mesmo ato.


C) Comunicação ao Público - ato mediante o qual a obra é colocada ao alcance do público, por qualquer meio ou procedimento que não consista na distribuição de exemplares.

A diferença entre a distribuição e a comunicação ao público é que na distribuição a obra é colocada ao alcance do público por outros meios que não seja a distribuição de exemplares físicos, ou seja, do livro impresso. Exemplo: E-book, publicação do texto na íntegra em blogs, etc.


D) Reprodução - cópia de um ou vários exemplares de uma obra literária, artística ou científica ou de um fonograma, de qualquer forma tangível, incluindo qualquer armazenamento permanente ou temporário por meios eletrônicos ou qualquer outro meio de fixação que venha a ser desenvolvido.

Auto explicativo.


E) Contrafação - reprodução não autorizada.


F) Obra:
- Em Co-autoria - criada em comum por dois ou mais autores.
- Anônima - quando não se indica o nome do autor, por sua vontade ou por ser desconhecido.
- Pseudônima - quando o autor se oculta sob nome suposto.
- Inédita - a que não haja sido objeto de publicação.
- Póstuma - a que se publique após a morte do autor.
- Originária - a criação primígena (o primeiro de sua espécie. Acredito que seja o volume 1 de coleções).
- Derivada - a que, constituindo criação intelectual nova, resulta da transformação da obra originária.


G) Editor - pessoa física ou jurídica à qual se atribui o direito exclusivo de reprodução da obra e o dever de divulgá-la, nos limites previstos no contrato de edição.


Agora que já sabemos alguns conceitos da lei, vamos ver a lei propriamente dita.

A lei diz que os textos e obras literárias, artísticas ou científicas são criações do espírito. Não é que a lei é poética? Hehehe! As criações do espírito que são protegidas estão descritas na lei. Livros, conferências, sermões, obras dramáticas, coreográficas, composições musicais com letra ou não, obras audiovisuais, desenho, pintura, escultura, projetos, esboços concernentes à geografia, engenharia, arquitetura, paisagismo, etc, etc, adaptações, traduções e outras transformações de obras originais, apresentadas como criação intelectual nova (olha o Fanfic aê gente!), programas de computador, enciclopédias e dicionários quando, por sua seleção, organização e disposição de seu conteúdo constituam uma criação intelectual. Estes são exemplos, a lei enumera mais coisas.

Também há coisas que não são protegidas pela lei, como as idéias, procedimentos normativos, sistemas, métodos, projetos ou conceitos matemáticos como tais; esquemas, planos ou regras para realizar atos mentais, jogos ou negócios; os formulários em branco a serem preenchidos por qualquer tipo de informação científica ou não, e suas instruções; os textos de tratados e convenções internacionais, leis, decretos, regulamentos, decisões judiciais e demais atos oficiais; informações de uso comum, como calendários, agendas, cadastros ou legendas; nomes e títulos isolados; aproveitamento industrial ou comercial das idéias contidas nas obras.

A proteção à obra intelectual abrange o seu tótulo, se origial e inconfundíel com o de obra do mesmo gênero, divulgada anteriormente por outro autor. O título de publicações periódicas, inclusive jornais, é protegido até um ano após a saída do seu último número, salvo se forem anuais, caso em que esse prazo se elevará a dois anos.



SOBRE O AUTOR

O autor é a pessoa física criadora de obra literária, artística ou científica. Não se considera co-autor quem auxiliou o autor na produção da obra literária, revendo-a, atualizando-a, bem como fiscalizando ou dirigindo sua edição ou apresentação por qualquer meio. No caso do co-autor, que evetivamente cria a obra junto com o autor, pode ter assegurados seus direitos autorais individualmente, caso sua contribuição possa ser utilizada separadamente. Exemplo: Poemas em meio a outros poemas publicados no mesmo livro.

Para o nome de identificação do autor, o criador pode usar seu nome civil, completo ou abreviado até por suas iniciais, pseudônimo ou qualquer outro sinal convencional. Ou seja, pode existir o autor "!". Iria ser interessante, hehehe! J. K. Rowling usou disso, assim como o Tolkien (J. R. R. Tolkien). Eu ainda não sei qual vai ser o nome que usarei no La Viratta, pois acho que até o livro sair já estarei casada ;)



O REGISTRO DA OBRA

O tema mais polêmico entre os autores é este: o registro da obra. Para ter meus direitos assegurados, preciso necessariamente registrar meu livro? NÃO!!! Impressionantemente NÃO!!! A lei é clara quando diz que a proteção dos direitos autorais de que ela trata INDEPENDE de registro. E vou explicar o motivo...

Acima vimos o conceito de publicação e é no momento da publicação da obra que o autor torna-se autor. Já vimos discussões fervorosas na justiça acerca de músicas que fazem sucesso e um suposto criador original diz que criou a música antes, e ganha quem provar que publicou a música primeiro, mesmo que não tenha registrado no órgão competente. Numa novela, por exemplo, o primeiro capítulo já assegura os direitos da novela inteira, desde que ela seja inédita. Assim também acontece com os livros e outras obras: no momento da publicação o autor já se encontra protegido pela lei, mesmo que não tenha feito o registro da obra.

Assim, o registro é facultativo e pode ser feito ou não pelo autor. O artigo 19 da lei inclusive faz menção à Lei nº 5.988/1973 que dispõe sobre o registro das obras intelectuais em seu artigo 17. No caso dos autores de livros, o registro deve ser feito na Biblioteca Nacional. Para o registro a Lei 9.610 diz que será cobrado um valor para a execução do registro. Claro, pois é com esse dinheiro que vai ajudar o órgão a se manter.



DIREITOS DO AUTOR

Fora os direitos comuns de reivindicar a autoria da obra, conservar a obra inédita, modificar a obra, retirá-la de circulação e etc, o mais interessante é que o autor tem direito a ter acesso de exemplar único e raro da obra, mesmo quando se encontre legitimamente em poder de outrem, para o fim de fotografar ou filmar o exemplar para preservar sua memória. Claro que o autor não pode sair quebrando a casa do detentor do livro, pois será responsabilizado pelos danos que causar ao detentor. Assim, o acesso ao exemplar deve ser feito de forma pacífica.

Por morte do autor, alguns direitos autorais transmitem-se aos seus sucessores (Incisos I a IV do artigo 24 da Lei de Direitos Autorais). A defesa das obras de domínio público cabem ao Estado.



OS DIREITOS PATRIMONIAIS DO AUTOR E SUA DURAÇÃO

No exercício do direito de reprodução, o titular dos direitos autorais pode colocar à disposição do público a obra, na forma, local e pelo tempo que desejar, a título oneroso ou gratuito. Qualquer que seja o modo de reprodução, o autor deverá ser informado da quantidade de exemplares produzidos, para controle do autor e sua fiscalização do aproveitamento econômico da exploração.

Os direitos patrimoniais do autor de obra literária perduram por 70 (setenta) anos contados de 1º de janeiro do ano subsequente ao de seu falecimento. Assim, uma pessoa que tem uma obra publicada e morre hoje, por exemplo, a partir de 1º de janeiro de 2012 os direitos patrimoniais da obra valerão para seus sucessores durante 70 (setenta) anos! Caso o mundo não acabe ano que vem, lógico hehehe!! No caso de obras indivisíveis em co-autoria, conta-se o período de 70 anos a partir de 1º de janeiro do ano subsequente à morte do último co-autor.

Após este prazo de 70 anos, a obra torna-se de domínio público. Aos autores falecidos que não tenham deixado sucessores, a obra torna-se de domínio público.



LIMITAÇÕES DOS DIREITOS AUTORAIS

OS direitos autorais também possuem limitações. É possível que se faça reprodução de partes da obra sem que isso prejudique os direitos do autor. Exemplificando, na imprensa pode ser publicado um artigo informativo ou notícia com fragmentos ou frases para discussão científica ou polêmica, desde que mencione o nome do autor e da publicação. A reprodução de obras literárias para uso exclusivo de deficientes visuais também é permitida, desde que sem fins comerciais, mediante Braile ou outros meios. A reprodução de pequenos trechos para uso provado do copista, desde que a própria pessoa tenha copiado e seja sem intuito de lucro.





Bom... Isso foi cansativo :p A lei é muito mais abrangente, abordei somente os principais pontos. Quaisquer dúvidas ou se virem alguma informação errada, podem me conctatar :)~

No mais, comentem \o/

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O Entardecer Vermelho

Olá pessoas!!

Primeiramente eu gostaria de agradecer a todos que estão participando da promoção 100 seguidores do blog, significa muito para mim. Convidem seus amigos para sortearmos o livro o mais rápido possível ok? =D

Quanto ao La Viratta, ainda estou na primeira revisão. Estou com algumas dificuldades pessoais, mas na vida até uva passa, então logo tudo vai passar suhahusahus *péssima!*

Hoje vou mostrar para vocês a entrevista que fiz com o Diogo Teixeira, um amigo meu escritor que publicou "O Entardecer Vermelho" pela editora Virtual Books, editora comentada no post anterior. Ele vai contar sobre o livro dele e sobre sua experiência na editora.

Photobucket

Nome: Diogo Teixeira
Quantas primaveras: 25


Formas de contato com o autor:

E-mail: diogolaw@gmail.com


~ Conte um pouco sobre você.

Sou advogado, bacharel de Direito pela Fundação Mineira de Educação e Cultura, pós-graduado em Direito Tributário pela Universidade Gama Filho.

Comento corridas em MG pelo Review de Corridas ( http://reviewcorridas.blogspot.com/ ) e continuo escrevendo livros de literatura e sobre Direito Tributário.

Atualmente estou me preparando para concursos públicos e começando a me preparar também para um mestrado em Direito.


~ O livro O Entardecer Vermelho é o seu primeiro livro?

Sim, é o primeiro livro e foi lançado em Março de 2011 com 50 tiragens pela Editora Virtual Books.


~ Conte um pouco sobre O Entardecer Vermelho.

Comecei a idealizar esta história ainda quando criança, e sempre procurei escrever algo sobre ela, mas, constantemente, sentia-me incapaz e oprimido por obras de grandes autores ao qual tenho muita estima, de tal forma que constantemente rasgava ou queimava todo aquilo que havia escrito. Em decorrência destas frustrações, enquanto cursava a faculdade de Direito, resolvi abandonar de vez a idéia de escrever, mas jamais abandonei a idéia de produzir em minha mente este universo que me é tão próprio.

O objetivo principal era de escrever uma trilogia que narrasse a história de um único Kraastiano, que balançaria todos os alicerces daqueles que o precederam, mudando substancialmente a sua realidade e de todos que viriam. Desta história eu jamais passei do segundo capítulo, muito embora tenha em minha mente toda a sua trajetória.

No mesmo tempo em que eu criava uma história principal, naturalmente surgiram outras histórias que se relacionavam e serviam de suporte à principal. A riqueza de detalhes era tanta que aos poucos elas tomaram vida, de tal sorte que alguns personagens passaram a possuir um enredo muito próprio. Foi então que eu apresentei algumas crônicas que eu escrevia a alguns amigos, sem nenhum legítimo interesse. De fato, fazia-o mais por diversão do que sob um ideal de um dia vir a publicá-los.

Ocorre que estas crônicas sempre foram muito bem elogiadas, e recebi incentivo de várias pessoas para que eu escrevesse mais, mas nenhuma delas conseguiu me comover a ponto de escrever de maneira séria e dedicada, imprimindo (ou ao menos buscando imprimir) o mesmo primor ao qual eu dedico à minha profissão. Mas, onde todos falharam, houve uma grande amiga que me inspirou a continuar a escrever.

O livro em si consiste em quatro crônicas cujo tema central cerca indiretamente um personagem que se chama Ayisht. Este personagem central não é o protagonista de qualquer destas crônicas, entretanto todos os fatos são desencadeados em função de sua misteriosa existência.

A primeira crônica revela o peso que um homem carrega por ter lançado ao mundo a Morte; A segunda crônica põe em dúvida a existência de um rei do passado; A terceira crônica exalta momentos que antecedem uma guerra; Por fim, a quarta crônica nos faz flutuar ante às dúvidas e medos de Verônica.


~ Como foi trabalhar no livro? De onde veio a inspiração?

Trabalhar com este livro foi muito gratificante. Sempre que eu iniciava uma crônica eu não fazia a menor idéia de como ela terminaria, por isso eu acabei sendo um autor e leitor. Eu vibrava com as vitórias dos personagens e ficava sentido com as dificuldades que eles atravessavam.

Acredito que, ao final, o livro teve mais influência em mim do que eu no livro. Foi como se eu descrevesse eventos que se apresentavam à minha frente, em tempo real!

Como eu estava ocupado com a advocacia e inúmeros estudos que minha profissão demanda, o único tempo livre que eu tinha para escrever era nos domingos a noite. Por isso demorei cerca de quatro meses para concluir o livro.

Mas o que mais me desgastou foi a revisão literária. A língua portuguesa é uma língua cheia de regras gramaticais e de concordância que se mostram inúteis e não funcionais, especialmente diante de uma aclamada reforma ortográfica que nas vias de fato não trouxe melhora alguma para a nossa realidade brasileira.

Por isso eu tive que contar com auxilio de outras pessoas que com muito carinho apontaram as falhas gramaticais e me auxiliaram a corrigi-las a tempo. A estas pessoas eu sou muito grato.


~ Conte sobre a luta para publicar um livro independente.

Quando o livro esteve pronto eu me deparei com uma realidade que me espancou e desmotivou a ponto de pensar em desistir da publicação. No Brasil nós temos editoras especializadas em publicações, mas seus valores são salgados para os iniciantes. Um livro publicado de forma independente sai mais caro ao leitor do que os livros publicados por grandes editoras, isso sem analisar a questão da divulgação.

Mas, de todos, surpreendentemente o que mais me desanimou foi a dificuldade de conseguir uma boa capa para o livro. Por sorte a Virtual Books me auxiliou neste ponto e uma bela capa foi produzida.


~ Como foi publicar o livro pela Virtual Books?

Eu sempre fui muito bem recebido pela Virtual Books. Tive uma certa insegurança inicial por ser algo da internet, mas analisei por mais de um mês o site da editora e vi que muitas pessoas publicavam por lá o seu livro. Meu primeiro contato foi através de um orçamento, ao qual fui prontamente atendido. A partir deste ponto o processo de publicação ocorreu de maneira exemplar.

Um dado interessante é que, depois de publicar o meu livro por esta editora, recebi dois e-mails de autores que pretendiam publicar também pela Virtual Books, mas que estavam com receio de ser um golpe como comumente vemos, tamanha a descrença de concretizar negócios pela internet.


~ Detalhe os prós e contras da editora Virtual Books.

No geral, o tratamento da editora com os autores foi algo que me impressionou. Cheguei até mesmo a ligar para a editora e sempre fui tratado com muita cordialidade. Acredito que este respeito foi fundamental na escolha da editora.

A única coisa que eu tenho a reclamar, e isso é por questão de facilidades, é que todos os depósitos são feitos através do Banco Bradesco, e eu não tenho conta neste banco.

Então tive que depositar as importâncias através da conta da minha irmã. O problema de não ter mais opções de depósito é que, para efetuar o depósito, eu teria que pagar taxas bancárias que acabariam encarecer ainda mais a produção do livro. E, de fato, este foi o fator que me desmotivou a requisitar novas remessas.


~ Palavras finais

Gostaria de agradecer a Pri pela oportunidade da entrevista e de ressaltar o quanto estou aguardando ansiosamente pelo meu exemplar do La Viratta.

Aos amigos e os leitores que adquiriram o “Entardecer Vermelho”, gostaria de agradecer por partilhar da alegria que foi publicar um livro. Sem este fundamental e essencial apoio eu jamais teria de fato publicado.

Por fim, urge ressaltar que já estou produzindo o segundo livro. Já tenho aproximadamente 100 páginas escritas e, pelo progresso, ano que vem pretendo publicá-lo. Mas, desta vez, procurarei uma editora de maior porte, já que a minha primeira publicação foi em caráter experimental.

Meus sinceros votos de Serenidade e Iluminação a todos!



YEEEEEEEY!!! Esse foi o Diogo gente! Diogo, obrigada pela entrevista!! Obrigada por me mostrar a editora, espero poder publicar o La Viratta o quanto antes! Saiba que seu exemplar já está reservado, hehehe!!! Confiram o livro do Diogo no Skoob, clicando aqui.

Convido a todos novamente para participarem da nossa promoção de 100 seguidores do blog! É o sorteio de um clássico da literatura, o livro "A Ilha do Tesouro". Mais informações: http://laviratta.blogspot.com/2011/11/promocao-100-seguidores.html

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Editora Virtual Books

Não! Não é uma loja de e-book! Só o modo de contato com a editora que é virtual XD~

Na minha busca por editoras, a editora Virtual Books está me parecendo uma boa opção.

Photobucket
VIRTUAL BOOKS - http://www.virtualbooks.com.br/editora/


A editora me foi indicada por um amigo, Diogo Teixeira, que publicou através dela o livro "O Entardecer Vermelho" (Link no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/193520).

A Virtual Books foi criada em 1998 com o intuito de ser uma biblioteca digital gratuita de livros estrangeiros. Os autores que disponibilizavam seus textos na Virtual Books se interessaram em publicar os livros sem que precisassem fazer tiragens enormes fixas e os criadores do site mineiro resolveram fazer uma editora que faz livros sob demanda.

A propaganda principal da editora apela para o valor da página: apenas R$0,07 centavos. É uma propaganda chamativa e forte, pois nos leva a calcular rapidamente mais ou menos quanto seria o custo da obra. A quantidade mínima de livros vendidos é de 50, cada capa fica no custo de R$2,00 sem orelhas, o ISBN a diagramação e a arte final da capa ficam por conta da Editora Virtual Books, que conta também com uma página com a listagem dos autores proporcionando o contato dos autores com os leitores.

O site da editora tem bastante informação, inclusive sobre como editar seu livro, formas de pagamento e prazos para a entrega. Para publicar, basta enviar a cópia da obra em word para o email vbooks01@terra.com.br que a editora fará o orçamento sem compromisso (lembrando que é bom registrar o livro na Biblioteca Nacional antes de enviar para qualquer editora).

Vantagens:
- Preço muito em conta, apenas R$0,07 centavos a página e R$2,00 reais a capa;
- ISBN, diagramação e arte final da capa inclusos no preço;
- Prazo de entrega em 20 dias após aprovação da capa e diagramação pelo autor;
- Divulgação do livro e do autor no próprio site.

Desvantagens:
- Tiragem mínima de 50 unidades (não é tão desvantagem assim, mas estou comparando ao clube de autores, que não tem tiragem mínima);
- Vendas online com link quebrado (pode ser que esteja em implantação e eu não sei até então);
- Formato fixo do livro (14x20cm, mas é o padrão dos livros).


Depois, publicarei uma entrevista com o Diogo, que publicou pela Virtual Books.

Abraços!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Promoção 100 seguidores!

Olá!!!

Numa data tão legal quanto essa (11/11/11 shuahusa) vou lançar a primeira promoção do blog para comemorar o término do meu livro!! Claro que eu ainda tenho que revisá-lo e encontrar uma boa editora por isso não sortearei ele, mas vou sortear um outro livro...

Photobucket
Prêmio: A ILHA DO TESOURO de Robert Louis Stevenson.
Editora L&PM Pocket


A ilha do tesouro é um clássico da literatura infanto-juvenil. Conta a história de Jim Hawkins, um garoto que mora com os pais numa pensão que administram, a Hospedaria Almirante Benbow. Jim vive diversas aventuras após a chegada de um lobo do mar. Este livro é pioneiro pois nele aparece pela primeira vez a idéia de um mapa do tesouro com um "X" marcado onde a arca estava enterrada, também estereotipando o pirata com perna de pau e um papagaio no ombro, uma figura tão popular hoje em dia. FONTE: Wikipédia





...REGRAS PARA PARTICIPAR...

1 - O participante deve ser residente no Brasil.

2 - O participante deve proceder a cinco passos:

ººººººº Adicionar como amigo o perfil do La Viratta no facebook - Clique aqui para visitar o perfil.

ººººººº Curtir a página do La Viratta Stories no Facebook - Clique aqui para visitar a página.

ººººººº Seguir o @LaViratta no Twitter - Clique aqui para visitar o perfil do Twitter.

ººººººº Seguir PUBLICAMENTE o La Viratta Blog - (Logando via Google/Gmail, twitter, Yahoo!, AIM, Netlog ou OpenID neste link ou clicando ao lado em "Participar deste site" no widget "...Seguidores do Blog..."

ººººººº Confirmar a participação fazendo um comentário com seu nome e email neste post (o email é necessário para que eu contate o participante caso seja sorteado).





...REGRAS DO SORTEIO...

1 - Ao comentar no POST da promoção (este post :D) o participante terá um número.
2 - O número designado é de acordo com a ordem crescente de posts. Ou seja, a pessoa que postou primeiro será a número 1, a segunda será a número 2 e assim por diante.
3 - O número do participante não será enviado por e-mail, é apenas para controle interno.
4 - Quando o blog atingir 100 seguidores sortearei o livro pelo http://www.random.org/.
5 - O ganhador compromete-se a fornecer o endereço completo para envio do prêmio.
5 - Fique atento no blog! Caso o sortudo ganhador não se apresentar 7 dias após o sorteio, o prêmio será sorteado novamente.





Participe! Divulgue! Boa sorte!! =D

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Destino & Águas

Oi gente!!!

Primeiramente queria agradecer a todos aqueles que me parabenizaram via msn, facebook e no próprio blog por eu ter terminado de escrever meu livro. É muito gratificante saber que tem pessoas que me apóiam!! Obrigada mesmo!!

STATUS: Estou na metade da primeira revisão do livro, dei uma parada na minha vida literária por causa de trabalho, mas semana que vem espero terminar a primeira revisão para mandar registrar na BN (Biblioteca Nacional). Quando eu mandar faço uma matéria sobre isso.

Tenho uma nova entrevistada! Era para esta entrevista estar logo depois do post sobre o clube de autores (http://laviratta.blogspot.com/2011/10/publicando-livros-independentes.html), pois a autora Paula Cardoso, também autora independente, teve a experiência de publicar por meio do clube, mas ela estava ocupada publicando a nova série "Águas" e aproveitamos para colocar tudo numa entrevista só. Vamos ver um pouco da história dela.

Photobucket

Nome: Paula. R. Cardoso Bruno
Quantas primaveras: 36


Formas de contato com a autora:
Facebook: https://www.facebook.com/PaulinhaRJ

Blog da Série Destino: http://www.seriedestino.blogspot.com/

Twitter da Série Destino: www.twitter.com/SerieDestino

Grupo da Série Destino no Facebook: https://www.facebook.com/groups/119857431432538/

Página da Série Destino no Facebook: https://www.facebook.com/pages/S%C3%A9rie-Destino/269682079711241

Blog da Série Águas: http://www.serie-aguas.blogspot.com/

Twitter: www.twitter.com/PaulaReRJ

e-mail: mapalu@ig.com.br



Como você começou a escrever?

Eu sempre gostei de escrever, mas só tomei coragens há pouco mais de 2 anos. Me apaixonei pela Saga Twitlight e comecei a escrever FICs numa comunidade no orkut. Aos poucos as pessoas foram gostando e resolvi passar para o computador as minhas estórias, os meus romances. Eu já tinha toda a Série Águas na minha cabeça, mas só depois passei para o note. Aí... Escrevi os três volumes de uma tacada só. Só depois de uns meses comecei a escrever o Destino.


Você já tem livros publicados. Conte-nos sobre a série Destino e sobre a série Águas.

Realmente hoje tenho 2 séries publicadas.

Destino é um romance não ficção. Ele conta quase como um diário, a estória de amor entre a Bruna e o Diogo. Ela, uma suburbana que faz faculdade e trabalha em uma empresa de notebooks e smartphones. Ele, um cantor muito famoso que faz sucesso no Brasil e no exterior. Ela não faz ideia de quem ele é, vive para os estudos e para o trabalho. Mas o Destino faz com que as suas vidas se cruzem do modo mais inusitado. Ele, com problemas com o seu smartphone, entra em contato com o SAC do aparelho que não consegue resolver o problema e transfere a ligação para Bruna, a especialista. No segundo que ouve a sua voz, Diogo se apaixona e faz de tudo para conhecê-la melhor.

Ele consegue o número do celular dela e dá start para uma vida juntos. Eles não conseguem resistir à atração, mesmo que ao telefone. Se falam todos os dias. Acabam se conhecendo pessoalmente depois de quase uma semana quando combinam um encontro no shopping. Somente no primeiro encontro ela fica sabendo da realidade de vida do Diogo. Ela tenta se esquivar, tenta evitar, mas já está perdidamente apaixonada como ele. A seu pedido, Diogo mantem o relacionamento em segredo pelo tempo que for possível. Não é fácil, eles precisam se adaptar. Ela não quer fama, prefere viver o romance em segredo. Ele faz de tudo por ela, não quer perdê-la. Ao mesmo tempo que a vida dos ricos e famosos incomoda a Bruna, as amizades dela também incomodam o Diogo. Aos poucos eles se adaptam, o amor cresce na mesma proporção que o ciúmes e os problemas. Ao longo dos 4 volumes, família e os amigos também estão muito presentes na vida dos nossos queridos B e D, que é como eles se tratam carinhosamente.

A pedido de umas leitoras muito curiosas, estou reescrevendo a estória na visão do Diogo. Neles elas ficam conhecendo um outro lado da vida dele, inclusive do passado. É possível entender melhor seus atos. Ele realmente esconde muitas coisas dela com o intuito de protegê-la e esconder o seu ciúmes e possessão doentios. Como dizem as pessoas que leram, a estória fica mais completa. Na visão do Diogo, já tem publicado o vol. 1 O Despertar e vol. 2 Ilusão.

Links de onde encontrar os volumes:

vol. 1: Destino http://bit.ly/igMGWJ

Vol. 2: A Superação http://bit.ly/lMwRll

Vol. 3:Força http://bit.ly/psSsJz

Vol. 4:Caminhos http://bit.ly/r4zyE8

Vol. 1 By Diogo: O Despertar http://bit.ly/n8yMnI

Vol. 2 By Diogo: Ilusão http://bit.ly/pxv6Nx


O Águas eu só publiquei nesse último final de semana, dia 29/10/2011. Ele é o meu primeiro romance/ficção publicado.

Sinopse: Pamela tem vinte oito anos e mora sozinha em Copacabana no Rio de Janeiro, ela adora nadar, mais especificamente, ela adora nadar no mar. Isso, mesmo depois de ter sofrido um grave acidente em alto mar quando adolescente. Em uma viagem pela Europa com sua família, Pamela caiu de uma barca que se chocou com outra que fazia um percurso pelo canal da Mancha, entre a Inglaterra e a França. Ela tinha quinze anos e a viagem foi um presente. Pamela ficou desaparecida por dias deixando todos muito preocupados. O consulado Brasileiro foi alertado para ajudar sua família naquele momento de dor e, a pedido deste, as marinhas da França e da Inglaterra começaram as buscas, mas não a encontraram.

Pamela não se lembra de quase nada do acidente, apenas que despertou no hospital depois de ser resgatada desacordada em Nantes, uma cidade dentro da Baía de Biscaia, na França. O que mais intrigou as autoridades é que a corrente marítima corre exatamente no sentido contrário e que Pamela não poderia ter sobrevivido à tamanha distância. Ela foi simplesmente achada depois de uma ligação feita ao consulado informando que uma moça com suas descrições foi achada. Fotos de Pamela haviam sido divulgadas na TV de toda Europa e do Brasil. Depois desse dia, sua vida tomou um rumo completamente diferente.

Link para comprar o Águas: http://bit.ly/uQQgtc


Como foi a busca por editoras? Foi complicado editar seu livro?

Custei muito para conseguir publicar os livros, o custo era algo que chegava me assustar. Enquanto eu estava na busca, fui escrevendo, por isso tantos livros publicados em tão pouco tempo. Confesso que quando começo é complicado parar. rsrsrsrsrs

Primeiramente fui atrás de editoras, mas R$6.000,00 para publicar 1 livro com 500 cópias para quem está iniciando é demais, né? Como vender isso tudo se você não é uma escritora famosa? Só aí que encontrei o Clube de Autores e realizei os meus sonhos de ver minhas criações à venda.


Quais são as vantagens e desvantagens de publicar no Clube de Autores?

A vantagem é ver seu livro publicado fisicamente sem desembolsar nada. A desvantagem é que você não consegue muito em direitos autorais. O custo de impressão é muito grande, mas mesmo assim vale a pena, principalmente se você não tem como bancar o alto custo de um editora e tem como colocar para vender em grandes lojas.


A Paulinha tem me dado muita força e dicas fortes para a publicação de livros, quem tiver interesse mantenha contato, pois ela é muito gentil e prestativa. Obrigada Paulinha!!! Adorei a entrevista!

Abração galera!